quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Vou de Scooter

Nesses dias de fortes chuvas e transito caótico na cidade de São Paulo, a scooter tem sido uma excelente compania.
Por vários motivos, o principal é a economia.
"O tempo é dinheiro" é o dito popular, andando de scooter saio meia hora mais tarde de casa e chego antes do que o carro, uma economia de uma hora por dia no transito. Tempo que pode ser bem aproveitado com a familia e trabalhando.
O combustível também representa um fator importante de economia em relação ao carro, fica na garagem um 6 cilindros de 3 litros e sai a monocilindrica de 125cc.
Por isso também fica óbvio que a poluição é bem menor, fator importante nos tempos atuais de excesso de poluição nos grandes centros.
Menos um carro na rua pode não representar muito, mas é o que dá para fazer.
Claro que existem as desvantagens, quando chove por exemplo tem que colocar a roupa impermeável, o que é chato, mas não é um problema.
A maior desvantagem está na convivencia no transito, é necessário ter muita atenção e paciencia. Atenção pelos movimentos dos carros e paciencia para conviver com os motoboys que são completos loucos. Não são todos, é claro, a grande maioria é feita de gente boa, pais de família, tarbalhadores dedicados e bons companheiros. Mas sempre existe a escória, que não tem o menor respeito pelo patrimonio e vidas alheias, assim como sua própria vida.
Enfim não era disso que queria escrever mas sim do prazer de andar de moto, ou de scooter um veiculo criado na Europa e adotado pelo mundo.
Chegou a hora de trocar a minha Sundown Future, a minha primeira scooter, antes disso só tive motos. Ainda tenho uma, mas muito grande e cara para andar nos corredores do transito.
Gostaria de trocar por uma Piaggio de 150cc, mas a relação custo/beneficio é irracional.

As outras opções são: Suzuki Burgman, Honda Lead ou um nova Sundown.
O que não me deixou feliz na Sundown foi o acabamento, que sei que na Suzuki e na Honda é melhor, optei por ela na época por causa do tamanho do aro que é de 13 polegadas, o que proporcionaria melhor dirigibilidade.


A Suzuki, tem como vantagens o preço, e é a mais popular, além de um visual simpático, mas não me empolga muito.



Minha escolha deve acabar sendo a Honda, que tem a marca mais forte e uma rede de concessionárias maior, conta com injeção de combustível e design agradável.


Desta vez com cor que prata e preto já encheu...

8 comentários:

Luís Augusto disse...

Considerando apenas o design, ficaria com a Sundown.

Conde disse...

Gustavo : Fiz um TestDrive na Lead e é muito agradável de andar . E olha que o calçamento aqui em MG é um assombro . E qto vai pedir na Sundown ? Procedência a danada tem. Abraço

Tohmé disse...

Honda é Honda.

Não dá erro.

Mas uma Vespa 250 é tudo de bom...

Gustavo disse...

Conde, quanto tempo...
Obrigado pela informação, não consigui nenhuma para um test drive aqui e essa era minha duvida.
Tohmé e Luis bonita mesmo é a Piaggio Vespa mas estão pedindo 18mil na 150cc e 25milna 250cc.

Conde disse...

Gustavo...A relação custo/benefício das Piaggio é mesmo assutadora . Só cuidado com as Xing-Ling :) Particularmente eu gosto da Sundown por causa do porte e do aro 13 . E eu te visito quase todo dia ,meu irmão! ótimo final de semana para os amigos . Abraço

Alexandre Zamariolli disse...

Fiz o test drive da Lead e gostei bastante. Macia, confortável, estável (roda dianteira de 12 polegadas), um motorzinho cheio de saúde, uma verdadeira caçamba de carga sob o assento.
Mas três aspectos dela me incomodaram um pouco:
1) Falta o cavalete lateral (parece que as próprias concessionárias Honda disponibilizam um kit adaptável, o que resolve o assunto).
2) A posição do tanque de combustível, sob o assoalho. Pode funcionar no mundo inteiro, mas aqui, por causa de nossas malditas lombadas, fica o receio de danificar o tanque em uma pancada na parte inferior da moto.
3) Se a moto for utilizada de forma esporádica e a bateria descarregar por falta de uso, o piloto da Lead ficará a pé, porque a transmissão automática impede a partida "no tranco" e não há pedal de partida.
Enfim, o negócio é torcer para que a Piaggio concretize a proposta de voltar para o Brasil e lance a Vespa LX 150 nacional.

Docoslot disse...

Tenho uma Suzuki, gosto muito, a nova Honda tem menos potência apesar de ser "injetada" 9,5 cv contra 12,5cv da Suzuki. O que me chamou a atenção foi realmente o espaço embaixo do banco, cabem dois capacetes, um normal e um mais fino que é o que cabe na Burgman.
De resto acho as duas muito parecidas de aspecto.

Mauricio disse...

Gustavo,

fiquei por meses pesquisando e optei pelo modelo Deluxe da Lon-V. O design é impagavel e assinado pela lambretta. Mas o principal motivo foi o tamanho. Ela é grande e confortável. Com relacao a procedencia, é chinesa (assim como a grande maioria das scooters que rodam no Brasil - burgman, dafra, sundown, etc...)
O preço não é dos mais atrativos, mas vale pelo design exclusivo.
Vale a pena conhecer e dar uma voltinha. o importador em SP realiza test-drive!

Abs,